A violência doméstica é um crime a auto-estima das mães e as crianças permanecem por toda a vida

6/30/2017 Lenny Iwatani 28 Comments

Violência e ameaça doméstica já não é um tabu. A violência doméstica é um crime, a polícia é forçada a intervir.



Na metade dos casos de violência doméstica, as crianças também são afetadas. Eles são as vítimas contra a vontade deles em qualquer caso, mesmo que não sejam diretamente afetados pela violência. Conflitos e violência dentro da família deixam cicatrizes profundas sobre as almas das crianças. Eles muitas vezes se sentem responsáveis ​​pelo argumento ou não podem proteger um dos pais atingindo o outro.

A justiça faz todos os esforços em colaboração com amigos e vizinhos. A luta contra a violência doméstica é um caso que levamos a sério e apoio imediatamente após um incidente. Às vezes, surgem muitas questões: onde a mãe pode viver com seus filhos quando não é possível em casa? Existe um lugar seguro para as crianças se eles não podem mais morar em casa com seus pais? Que tipo de apoio às vítimas precisava de imediato e a longo prazo,de médico e psicológico, etc. Como o autor pode ser responsabilizado e também onde ele pode se ajudar? Além disso, as vítimas de violência doméstica muitas vezes elas se sentem vergonha e receosa de fazer a queixa, porque temem que não tenham lugar para ficar com seus filhos.

Tem sido teorizado que algumas mulheres que vivem com violência doméstica.   Pesquisas sugeriram que, embora as mães maltratadas possam fornecer o calor materno para seus filhos,mas elas não conseguem fornecer autoridade materna devido à baixa auto-estima.

De acordo com algumas pesquisas, cerca de um quarto de todas as mulheres heterossexuais sofrem abuso físico ou sexual, ou ambos, por um parceiro íntimo em algum momento durante suas vidas. Algumas sofrem dano gravíssimo, cicatrizando seus filhos e outros emocionalmente perto dela.As mulheres acostumados à violência doméstica muitas vezes não dão um passo à frente à medida que a imagem da violência está marcada em suas vidas.

Freqüentemente, os homens que batem seus parceiros justificam a violência dizendo que ela as provocou e deveria ter percebido que ficariam irritados ou com ciúmes. O ciúme do perpetrador é uma razão universalmente citada dada pelas vítimas pelo porquê seu parceiro masculino os atacou. Aliás, o ciúme masculino é teorizado para ter evoluído como uma forma de dominar as mulheres e garantir a paternidade.

As vítimas muitas vezes levam a culpa e muitas vezes se culpam. Elas podem se sentir culpadas ou envergonhadas. Além disso, a incerteza de uma mulher sobre as finanças ou a incapacidade de administrar a situação resultará em ansiedade, depressão e sentimento de desamparo.

Muitas vezes, essas mulheres têm medo de sair da casa porque estão ameaçadas de morte ou perdem a expectativa de seus filhos, como minha mãe, que estava com medo de ficar longe de seus filhos. Ela aguentou até o quarto poder, minha mãe estava ao lado de seus 4 filhos sofrendo humilhação e vergonha que todos vissem o rosto marcado pela violência doméstica. Minha mãe e ela era uma guerreira até o fim!

28 comentários:

  1. esses dias eu estava lendo um texto esses de facebook mesmo que falava sobre violencia domestica e realmente sao cada casos triste né as vezes começa com aqueles empurrões de leve e vai evoluindo e na maioria dos casos quando a pessoa vai presa nao fica o tempo merecido

    ResponderExcluir
  2. É triste viu amiga , infelizmente eu passei 2 anos em um relacionamento que sofria violência doméstica e não me separava por medo de ficar só mais graças a Deus Me livrei desse relacionamento e hoje não quero nunca mais isso pra minha vida adorei o post parabéns sucesso

    ResponderExcluir
  3. Parece incrível que, em pleno século 21, ainda nos deparemos com esse comportamento machista, sexista, de homens truculentos, que não respeitam suas mulheres. E, quando não deixam sequelas físicas, degradam sua autoestima, minando toda sua alegria de viver. É lamnetável. E parece não ter solução pára essa terrível e interminável prática. Incrível. Fico indignada. Aqui no nordeste, onde moro, é um hoprror, todos os dia, sem mentira nenhuma, duas três mulheres morrem, torturadas, esquartejadas, queimadas, enterradas vivas. E todos n[ós, assistimos inertes toda essa barbarida que invadem nossas casas através da tv. Fico sem saber se continuo assitindo todos os terríveis detalhes das atrocidades ou mudo de canal e finjo que nada daquilo aconteceu de verdade. Não! É brincadeira. Bjs, linda1 Parabéns pelo post. Sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Olá, adorei o seu post!
    Em 2015 quando criei o meu blogue falei desse assunto, e tinha do que falar, pois tive um caso desses na minha família, acho injusto o homem ou a mulher culparem o parceiro por eles levarem porrada! Esta sociedade não vai melhorar se as pessoas não tomarem atitude!
    Beijinhos,
    www.curio-so.blogspot.com
    Vou seguir o seu blogue ;)

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, como vai?
    Fiquei impressionada ao saber que ainda temos tantas violências domesticas e que na maiorias das vezes as pessoas se calam pra si, algo tao injusto. Creio que a sociedade deveria rever toa essa situação e quem passa por essa violecia deveria se abrir. beijos

    ResponderExcluir
  6. ola tudo bem ? A violencia domestica é um caso muito dificl de debater, minha opinião é que é precizo denunciar, mais tem o outro lado que se chama realidade .
    tem casos que se denunciar é necessario sumir !! pra onde ? escola de filhos ?.........
    Porque em muitos casos as mulheres denunciam e eles voltam e as matam . e nesse caso a mulher esta vulneravel, principalmente as de menores situação financeira , não há segurança para cada uma delas. acho que é preciso mudar as leis e a eduação infantil em relação. bjsss

    ResponderExcluir
  7. A violência contra a mulher está crescendo muito infelizmente. A mulher apanha e muitas vezes tem que ficar calada, por medo. O homem ele se acha o dono dá mulher. Mas espero que um dia haja justiça nesse caso, pois como está não dá, post muito importante bjs.

    ResponderExcluir
  8. Muito triste isso, nós mulheres já passamos tanta coisa ruim na vida e ainda tem esses vagabundo pra infernizar mais, eu tinha uma vizinha assim, mas ela nunca denunciava por medo e por não ter onde ficar com os filhos, se a mulher não tiver coragem e reagir fica muito dificil sair disso. Ótimo post, bjs

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente violência doméstica, mesmo em tempos atuais de tantos recursos e informações ainda se perpetua por aí. É lamentável acreditar o que esses "Predadores" fazem com suas vítimas, não consigo classificar quem faça isso de outra forma senão de "predadores". E realmente o intelecto de crianças que crescem em meio a essa lástima sofre sequelas eternas. Muito bacana seu texto, adoro seus escritos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Vergonha, culpa ou até medo porque sofrem ameaças e chantagens. Muitas vezes como você falou, as crianças são afetadas de modo indireto, isso porque elas presenciam a mãe sofrendo a agressão. Gostei da abordagem de um assunto tão sério, as pessoas precisam buscar soluções para esses problemas, não aceitar essas injustiças pois muitas vezes o culpado acaba impune. Muitas vezes o ciume do parceiro é a causa dessas agressões ou até de crimes mais graves como assassinato. :/

    ResponderExcluir
  11. Esse é um tema muito forte e muito triste. Infelizmente muitas mulheres são submetidas a violência verbal e física dentro de seus lares e com seus próprios filhos. Infelizmente muitas são julgadas e por consequencia não conseguem achar uma saída. Essas mulheres são muito guerreiras sim! E nós precisamos estar lá por elas. Quando presenciarem/ouvirem algum caso de violência contra a mulher, façamos nossa parte e vamos denunciar! Muito bom que vc aborde esse tema, é bom que tudo isso se propague! Vamos alertar

    ResponderExcluir
  12. Nossa Lenny, chorei aqui assistindo teu vídeo viu. Realmente a Luiza foi uma mulher muito corajosa em abrir mão de tudo para denunciar a agressão, nós mulheres não temos que levar um tapa sequer. Essa conversinha de que "não provoca o homem senão ele bate mesmo" é muito arcaica, por muito tempo as mulheres viveram sob o domínio do medo e lutando para serem perfeitas em casamentos abusivos. Graças a Deus que agora temos leis mais severas, na época das nossas mães e avós era bastante complicado denunciar o companheiro porque mesmo que não tenha agressão física, tem psicológica e isso não era motivo para a polícia registrar a denúncia. Amei a postagem Lenny, e amei o vídeo porque me senti do teu lado conversando, rs. Beijão. ♥

    ResponderExcluir
  13. Oi Lenny, tudo bem?

    Acho extremamente importante você abordar este assunto, pois o mesmo continua sendo gigantesco e muito doloroso para todos os envolvidos. Eu vi essa situação ocorrendo na minha casa, e via como a minha mãe sofria e como isto a afetava. Confesso que essa situação também acabou me afetando, e realmente carrego traumas que perduram até hoje. As pessoas que passam por isso são reais guerreiras que merecem ser aplaudidas todos os dias. Ter força para lutar e sair desta situação não é fácil, eu sei quanto todo o processo é angustiante e torturador. Adorei o post, me emocionou e relembrou feridas antigas. Isso é bom, mostra o quanto a vida muda e nos fortalece!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. A violência contra a mulher atinge não só aqueles que sofrem suas consequências diretas, mas também àqueles que a testemunham, normalmente as crianças e adolescentes que são filhos do agressor e da vítima. Há uma frase muito comum e que reflete um outro viés em relação ao olhar que deve ser dado à violência doméstica e familiar contra a mulher: “Ele é mau marido, mas é bom pai”. Importante dizeer tb que o direito da mulher à vida com dignidade não é uma questão ideológica, é uma questão de direitos humanos. Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    É bom saber que estamos progredindo nesse quesito, acredito que a popularização das redes sociais e facilidade de trocar informações está auxiliando muito na conscientização de todos, pois o primeiro passo precisa partir da vítima, mas muitas não se sentem no direito de fazê-lo... assim, saber que outras pessoas passam por isso ajuda a construir coragem para não se calar!

    ResponderExcluir
  16. Esse é um assunto bastante delicado mas que deve ser explorado sim e bastante abordado. Ainda existem muitas mulheres que têm medo de denunciar a violência por medo de sofrer retaliações. Acho que a justiça deveria ser mais efetiva nesse ponto.

    ResponderExcluir
  17. Cada vez vejo mais histórias de mulheres e sofrem ou sofreram esse tipo de violência, e se calavam por medo de ficarem sozinhas, ou por ameaça do marido babaca. Triste demais isso!

    ResponderExcluir
  18. Essa violência é uma triste realidade e, com certeza, deixa marcas pra vida toda que como vc bem disse, de qualquer forma reflete nos filhos. Infelizmente, pelo menos por aqui no Brasil, muitas vezes a justiça não consegue dar a segurança essencial nesses casos. Parceiros que depois de ser impedidos de se aproximarem da vítima, ainda assim cometem novos abusos ou mesmo assassinatos; e daí já é tarde. Seu depoimento com a experiência que sua mãe passou é muito comum, mas como disse, muitas mulheres sofrem esse abuso caladas com medo das consequências depois de fazer uma denúncia ou mesmo de serem acusadas, como a Luiza. Acho que somente a educação de nossos filhos poderá mudar futuramente essa realidade. Devemos ensinar nossas crianças a respeitar as mulheres e seu próximo.

    ResponderExcluir
  19. oi!
    Realmente a violência doméstica é um crime horrível e tornou comum em nossos noticiarios. Infelizmente a lei não pune os agressores que acabam voltando e atormentando as vitimas e em alguns casos ate matam. A Lei Maria da Penha precisa ser reformulada para proteger as vitimas.
    bjo

    ResponderExcluir
  20. Violência doméstica é um assunto muito delicado e que engloba uma série de questões.
    É um assunto corriqueiro, que tem relevância e pouco é feito. Por vezes por questão cultural mesmo.

    Beijinhos,
    Aline Magalhães
    Alineland

    ResponderExcluir
  21. Nossa que assunto sério e importante para ser tratado e esta em todas as classes sociasi, o melhor é sempre falar e falar mesmo, para que cada coração seja tocado e a cabeça se abra para se protegerem

    ResponderExcluir
  22. Eu sei que existem algumas mulheres que abusam da boa vontade de qualquer um, mas mesmo assim NÃO sou a favor de violência seja ela como for ... Na minha opinião a pena contra os agressores devia ser mais pesada, e as mulheres agredias e seus filhos deviam receber algum tipo de ajuda governamental, principalmente em relação ao seu lado psicológico que fica extremamente afetado .... Mas temos de falar de algo chato também, que em sua maioria as próprias mulheres ( as não agredidas) são as primeiras a ficarem contra as que são agredidas, relegando as mesmas a culpa pela agressão, isso precisa mudar urgente no meu ponto de vista! Ótimo texto para reflexão!
    Bjs (•‿•)

    ResponderExcluir
  23. Esse é uma assunto muito importante,violência doméstica é um crime muito ruim e com certeza deixa sequelas para o resto da vida,conheço várias pessoas que passaram por isso e até hoje sofre muito mesmo não vivendo com o agressor,isso é um crime horrível e cruel demais,na televisão a gente ver cada história de tira qualquer do serio isso é um assunto muito delicado.

    ResponderExcluir
  24. Fico indignada... lamentável e parece não ter solução pára essa terrível e interminável prática. Quando isso vai acabar meu Deus!

    ResponderExcluir
  25. É um assunto bem delicado, além das próprias pessoas que sofrem com a violência domestica, há outras que presenciam e preferem não interferir, acho que ainda há muito para ser feito nesse aspecto e em vários outros.

    www.aromadecachos.com.br

    ResponderExcluir
  26. E não é só o abuso sexual ou a agressão física.Também tem a agressão verbal: palavras que ferem, machucam, rebaixam, ridicularizam e expõe o parceiro (a) . Mas acredito que devagar estamos evoluindo para que isso seja algo que diminua até se extinguir. Somos adultos, conversando a gente se entende. É preciso aprender a ter domínio próprio e RESPEITO. ótimo post!

    ResponderExcluir
  27. Infelizmente isso ainda acontece em muitos lares. E como você mesmo disse, as crianças sofrem e são muito afetadas.
    Acredito que isso só acabe quando as pessoas afetadas consigam se libertar e com leis mais severas para quem ataca.
    Beijo

    ResponderExcluir
  28. Taí um mal qur parece que não terá fim nunca...a cada dia os relatos só aumentam e tendem a ficar mais graves e sem punição. Terrível diagnóstico. NaniMoreira.com.br

    ResponderExcluir

Sinta-se livre para compartilhar seus pensamentos, dicas, truques e idéias na seção de comentários acima ou enviar apresentações, perguntas ou idéias do artigo para:
(ficarbem@live.com) (blogficarbem@gmail.com)